Cidadania Europeia

Cidadania europeia, dupla cidadania

Cidadania Europeia

Muitos nos perguntam como fizemos para mudar pra Espanha e vamos falar um pouquinho sobre Cidadania Europeia.

Mas vamos começar do começo…

A união europeia  é uma união econômica e política de características únicas formada por 28 países: Alemanha, Áustria, Bélgica, Bulgária, Chipre, Croácia, Dinamarca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Estônia, Finlândia, França, Grécia, Hungria, Irlanda, Itália, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Países Baixos, Polônia, Portugal, Reino Unido  (exceção da Inglaterra), República Tcheca e Suécia.

Qualquer um que tenha nascido em algum país da União Europeia é, automaticamente, cidadão europeu. Graças ao acordo entre os países da União Europeia, as pessoas podem circular livremente em quase todo o continente, tornando-se muito mais fácil viver, trabalhar e viajar em outros países da União Europeia.

Que maravilha pra eles não é mesmo? Mas nem tudo está perdido para nós, brasileiros.

Todos sabemos que, no passado, muitos europeus imigraram pro Brasil e fizeram a nossa história. Desbravaram, trabalharam e formaram famílias. E é aí que a história fica interessante.

Cada país membro da União Europeia é responsável por determinar as condições para que uma pessoa possa adquirir, reconhecer ou até mesmo perder a sua nacionalidade.

Se você nunca se interessou muito pela história dos seus antepassados mas tem um desejo de morar fora do Brasil, você precisa pensar nesse ótimo motivo pra bater aquele papo nas reuniões de família. E eis a grande questão… Será que eu tenho o direito?

Sangue europeu?

Se você descobriu que tem sangue europeu correndo nas veias é hora de começar a ir atrás dos documentos. Só uma observação… fique tranquilo caso você não possa fazer a dupla cidadania. Neste post (click aqui) falamos sobre as possibilidades de visto para morar fora.

Como mencionei, cada país tem uma exigência em relação  a esse direito. Então, nem sempre você vai precisar dos mesmos documentos ou da mesma forma que um amigo seu precisou.

Nos sites dos consulados você encontra todos os detalhes importantes, como as normas para o requerimento da cidadania e a lista de certidões e documentos necessários para você dar início ao seu processo.

Modéstia a parte, sou uma pessoa um tanto organizada e esquematizei tudo antes de dar os primeiros passos. Por isso, listei aqui alguns pontos muito importantes, do meu ponto de vista e experiência, que fazem muita diferença para o sucesso dessa conquista.

Organização:

Antes de começar a solicitar aos cartórios as certidões, faça uma árvore genealógica, partindo de você até o europeu que te passa a cidadania. Se você começar a providenciar as certidões antes de ter toda a certeza que seu caso não está excluído desse direito você pode perder tempo, trabalho e o dinheiro investido na solicitação das certidões.

Parece óbvio, mas já escutei várias histórias em que as pessoas acabaram descobrindo, já com as certidões em mãos, que por algum motivo não teriam esse direito, mesmo tendo um ancestral europeu.

Planejamento:

Você já sabe quando vai dar entrada no seu processo? Sabe o tempo de espera no consulado no Brasil e em qual momento deve levar os documentos?

Falo isso porque alguns países e consulados  podem exigir documentos emitidos recentemente pelo cartório. Sabemos que uma certidão de nascimento ou óbito não altera, por razões óbvias, independente da data em que ela foi emitida. Já as de casamento sim… muita coisa pode acontecer em 1 ano. Mas mesmo as que são imutáveis podem ter tempo de validade.

Por isso, pesquise os cartórios onde todas as suas certidões estão, ligue e confira se os registros são de lá mesmo pra solicitá-los somente próximo do período da entrada do processo e entrega dos documentos.

Paciência:

Nem sempre é fácil correr atrás de todos os documentos até você tê-los em mãos porque nem sempre sabemos exatamente onde estão.

Lembro que no meu caso, o meu bisavô era quem me passava a cidadania italiana. E ele foi casado, antes da minha bisavó, 3 vezes. Isso mesmo… minha bisa era a quarta esposa. Precisava das outras certidões de casamento dele. Mas como ele ficou viúvo antes de ter filhos, ninguém sabia quem eram as mulheres. Foi um verdadeiro trabalho de Sherlock Holmes que minha tia fez na época que meus primos fizeram o processo. Valeu tia Vera!!!

E é por isso que nem todo mundo segue adiante nesse processo e com isso entro no próximo item.

Determinação:

O quanto você deseja isso? Se a dupla cidadania for a grande oportunidade da sua vida, você vai fazer.

Vai ser difícil? Muitas vezes sim. Vai ser barato? Não… são várias certidões, apostilamentos, traduções e taxas consulares ou a viagem pra fazer no país em que se está requerendo a cidadania. Vai ser rápido? Na maioria dos casos não, podendo demorar até 12 anos, como é o caso da cidadania italiana para quem vai dar entrada por São Paulo. Vai valer a pena? Ah…. essa parte eu posso falar com propriedade….

Sempre vale a pena a conquista de um sonho!

Written By
More from Renan Ferrari

Como conseguir trabalho na Espanha

Uma das etapas mais complicadas e que pode nos deixar mais preocupados...
Read More

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *